História da Câmara

 

“Prédio da Câmara em construção – 1980”

 

A Primeira Legislatura da Câmara Municipal de Praia Grande teve início no dia 15 de novembro de 1968. Nove vereadores compuseram o Legislativo da Cidade, presidido por Aristeu Luz, que foi seguido por Pablo Trevisan Perutich (1970) e Osvaldo Antonio Aranha (1972).

 

Além deles, fizeram parte da Primeira Legislatura os vereadores: Cezário Reis Lima, Oswaldo Luiz Sanchez Toschi, Arnaldo Perticarati, Osmmar Matinatti, Luiz dos Santos Reis e Waldemar Murano. Ainda assumiram os suplentes: Elízio Záccaro, Antonio Figuerôa, Alberto Ferraro e Luiz Leite.

 

Na época, a Câmara funcionava em prédio anexo ao da Prefeitura, na Praça 19 de Janeiro, Bairro Boqueirão. Todos os parlamentares dividiam a mesma sala e havia um plenário para as sessões ordinárias.

 

O Legislativo ganhou força e a Casa de Leis mudou para a Praça Vereador Vital Muniz, nº 1, onde funciona até os dias de hoje no dia 20 de março de 1980. O Palácio Petrônio Portella foi inaugurado pelo prefeito Dorivaldo Loria Junior, o Dozinho. O presidente da Câmara na época era Cezário Reis Lima.

 

Com o crescimento no número de vereadores e das atividades da Câmara Municipal, em 11 de dezembro de 1998, foi inaugurado o Anexo Ulisses Guimarães, pelo então prefeito Ricardo Yamauti. O presidente da Câmara era Alexandre Evaristo Cunha. O prédio ainda passou por uma reforma completa e foi reinaugurado em 2002, pelo presidente da Câmara, Esdras de Oliveira e Silva e o então prefeito Alberto Pereira Mourão.

 

Depois de 33 anos, o plenário da Câmara, denominado Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco, desde sua inauguração, ganhou novo nome. Em 2013, o Projeto de Resolução da vereadora Janaina Ballaris, batizou a sala onde são realizadas as sessões ordinárias de Emancipador Oswaldo Toschi.

 

Atualmente a Câmara conta com 19 parlamentares. A Câmara já teve 19 membros durante quatro Legislaturas (de 1989 a 2003). De acordo com emenda à Lei Orgânica, aprovada em 2010, haverá aumento gradativo no número de cadeiras, a cada Legislatura, de duas em duas, até alcançar 21 vagas, o máximo previsto pela Constituição Federal, para municípios com o porte de Praia Grande.